Desde a notícia da rasteira, ou traição se você preferir, sofrida pelo agora ex pré-candidato a prefeito de Mucuri, Marquinhos Gazzinelli, me veio um pensamento que não cessa: o Partido Progressista (PP), de Mucuri, está cheio de escorpiões e eles já mataram dois sapos. 

Os dois escorpiões, Fernado Jardim e Robinho, já mataram dois sapos, o Cajazeira e o Marquinhos.

Antes que se chateiem comigo, explico: é que lembrei da fábula do escorpião e o sapo: 

Uma vez um sapo e um escorpião estavam parados à margem de um rio.

- Você me carrega nas costas para eu poder atravessar o rio? - Perguntou o escorpião ao sapo.

- De jeito nenhum. Você é a mais traiçoeira das criaturas. Se eu te ajudar, você me mata em vez de me agradecer.

- Mas, se eu te picar com meu veneno - respondeu o escorpião com uma voz terna e doce -, morro também. Me dê uma carona. Prometo ser bom, meu amigo sapo.

O sapo concordou.

Durante a travessia do rio, porém, o sapo sentiu a picada mortal do escorpião.

- Por que você fez isso, escorpião? Agora nós dois morreremos afogados! - disse o sapo.

E o escorpião simplesmente respondeu:

- Porque esta é a minha natureza, meu amigo sapo. E eu não posso mudá-la.

O PP de Mucuri, ninho de escorpiões, estava morrendo com a falta de expressão política de seus representantes locais. Fernando Jardim, eleitoralmente, nada tem a oferecer. O Robinho, precisa de Mucuri, dos votos de Mucuri, para seguir com seus planos na próxima eleição de deputado.

Por isso, precisavam de um sapo. Convenceram Cajazeira a largar o Partido dos Trabalhadores (PT) e filiar-se ao Partido Progressista (PP), garantindo a ele a legenda para ser candidato. Passado o prazo de filiação os escorpiões deram uma picada nas costas de Jorge Cajazeira e mataram seu sonho de ser candidato quando optaram por Marquinhos Gazzinelli.

O segundo sapo, o próprio Marquinhos, manteve vivo o nome da legenda dos escorpiões. Assim como Cajazeira, Gazzinelli acreditou na palavra de Fernando e Robinho, mas também foi picado pelos escorpiões traiçoeiros.

Resta aos dois sapos lamentarem.  

Agora os escorpiões foram para o ninho do Democratas (DEM), morar com o pré-candidato Robertinho. Aliás, Robertinho é outro escorpião que já traiu seus companheiros e eleitores em dois mandatos não concluídos, onde o funcionalismo, eleitores seus, ou sapos seus, passava até fome devido ao atraso nos salários.

Esta fábula um tanto quanto bizarra do sapo e o escorpião nos lembra essas pessoas, que por mais que façamos por elas, nunca mudam, pois mudar a natureza de uma pessoa, sua personalidade é uma tarefa muito... muito difícil. Podem as vezes sorrir, dizer que mudou, mas logo depois voltam novamente a sua essência, a sua natureza primária. A natureza de escorpião.



Deixe seu Comentário